Tragédia anunciada!






Desde o começo da semana não se fala em outra coisa em Garanhuns e região. O desabamento de um prédio de 3 andares no bairro Aluízio Pinto, eu cheguei na TV na segunda-feira e segui viagem para Belo Jardim para uma pauta previamente marcada, quando fui informada que precisava ir urgente pra Garanhuns porque o prédio tinha caído e existiam duas pessoas soterradas nos escombros. Seguimos e ao chegar próximo ao local muita gente aguardava com ansiedade por notícias, tivemos acesso ao quintal da casa vizinha e acompanhamos de perto o trabalho do corpo de bombeiros que durou 12 horas.

A cada minuto que se passava a tensão aumentava, lá fora histórias impressionantes… o dono de um dos apartamentos resolveu de última hora viajar levando a família, ele estava chegando de viagem na manhã da segunda-feira quando se deparou com o fim de seu lar, mas agradeceu o livramento. Às 16h30 Antônio Arcoverde, de 32 anos foi localizado pelo corpo de bombeiros, estava morto! Seu Edval Soares foi encontrado às 18h, também já morto! E ele morreu como herói, escutou os estalos e começou a avisar aos vizinhos que o prédio ia cair, ele saiu com a família e resolveu voltar para pegar documentos, então o prédio desmoronou! No apartamento da família de  Antônio, heroína foi a pequena bebê de apenas 20 dias, antes das 6 horas da manhã ela chorou com fome, o que fez a mãe acordar e seguir para o quarto da recém-nascida, então quando o prédio caiu, Genicélia abraçou e protegeu a filha dos escombros, chamou por socorro e foi salva junto com ela, o marido que dormia no quarto do casal não teve a mesma sorte. Se a pequena não tivesse acordado, talvez os três tivessem morrido.

Bebê de 20 dias recebendo os cuidados do Samu

Olhar para esse cenário de como tudo ficou depois da tragédia é desolador, parecem cenas de um filme de guerra.

Casas vizinhas destruídas

Um dos moradores relatou que no apartamento dele, tinham muitas infiltrações e rachaduras e que a defesa civil do município foi avisada, mas que o laudo indicava que o local estava fora de perigo e que eles podiam continuar morando lá. O que dá pra perceber é que o prédio era sustentado por essas colunas de concreto:

Todas as evidências serão avaliadas pela polícia civil que começou a investigação ouvindo testemunhas, moradores e já identificou a empresa responsável pela construção do prédio, se trata de uma construtora de pequeno porte que, inclusive, tem outras construções em andamento na cidade. A perícia deve apontar as possíveis motivações da queda se foi por consequência de  fenômenos naturais, falhas no projeto, na construção ou uso de material de má qualidade e a partir daí vai determinar se houve crime e os responsáveis serão punidos.

Enquanto isso, a defesa civil interditou os apartamentos dos outros dois blocos do conjunto residencial que fica no bairro Aluízio Pinto e das casas no entorno que foram danificadas e parcialmente destruídas com os escombros, estão todos muito assustados. Uma das moradoras do bloco B me relatou rapidamente quando estava aflita fazendo a mudança dela pra casa da irmã que desde segunda não consegue dormir direito, escutando o tempo inteiro o barulho da queda e os gritos de pedidos de socorro. Fica agora nossa torcida para que os que ficaram possam se reerguer o mais rápido possível, fé eles têm e a energia positiva e solidariedade do povo pernambucano também.

Confira na reportagem abaixo mais detalhes sobre o começo das investigações: