Alegria, alegria… o sertão vai virar mar!






          Depois de sete anos de estiagem, o cenário no sertão pernambucano não poderia ser outro, vegetação morta, galhos de árvores secos, animais magros e agricultores sofrendo, clamando por água. Mas o que parecia tão difícil de chegar através da chuva, veio de outra forma, nos últimos meses o cenário cinzento castigado pelo sol tem dividido espaço com as águas do Rio São Francisco que estão chegando ao sertão de Pernambuco pela transposição, a maior obra hídrica já feita no país.
          E olha que dizem que desde o tempo de Dom Pedro II esse projeto existe, mas enfim ele está sendo colocado em prática e pra mim foi muito bom poder ver essa maravilha de água chegando ao sertão e, principalmente, a alegria dos sertanejos. Aos poucos, eles vão se acostumando a ver o que faltava, agora ter de sobra. Imagina só: acordar, abrir a janela e ver um “mundo” de água desse… conversei com um morador de lá e ele me disse: Se ter água é riqueza, graças à Deus está todo mundo rico aqui agora, a gente já sofreu demais!
          Em Sertânia, que fica há 320 kilômetros do Recife, 4 barragens já recebem as águas do velho Chico. Ao todo, serão beneficiadas cerca de 12 milhões de pessoas em 390 municípios dos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio grande do Norte e Ceará. A transposição é dividida em dois eixos, eixo Norte que está 94,5% concluído e o eixo Leste, com 96,9% das obras concluídas. Em 2007 quando começou, a transposição era orçada em R$ 4,8 bilhões. Atualmente, o custo total estimado subiu para R$ 9,6 bilhões. A previsão do Ministério da Integração Nacional é concluir tudo até o fim de 2017. E eu pretendo, até lá, ir várias outras vezes à esse sertão que amo!